Há muitos anos já utilizamos fios de sustentação para um efeito lifting do rosto. Hoje em dia, com o surgimento dos fios de PDO, houve uma grande evolução nesse campo. São fios seguros, absorvíveis e que são considerados como bioestimuladores de colágeno, pois além do efeito de tração, também promovem um aumento do colágeno na área onde foi colocado. Por isso, aqui vou falar apenas sobre eles, pois são os que eu venho utilizando na minha rotina.

Fios de sustentação para lifting facial

Muito tem se falado sobre o uso dos fios de PDO e vem crescendo suas indicações na prática médica. Mas vocês sabem ao certo o que são, quais efeitos esperar e suas complicações? Por isso, preparei esse texto para explicar um pouco mais sobre eles e sobre as técnicas de rejuvenescimento e lifting facial.

Com envelhecimento facial vai ocorrendo perda de elasticidade da pele e perda de volume facial, levando ao aumento do “bigode chinês”, da papada, de acúmulo de pele próximo ao canto dos lábios e posicionamento mais caído das sobrancelhas. É claro que o lifting cirúrgico ainda é o padrão ouro para o rejuvenescimento facial, mas nem sempre o paciente quer ou pode ter um período de recuperação mais longo. Técnicas menos invasivas e de menores riscos têm crescido e a cirurgia hoje em dia, acaba ficando para os casos mais intensos de envelhecimento.

O lifting facial com o uso de fios não é um procedimento novo. Já foi inclusive chamado de “lifting na hora do almoço”. O que vem mudando é o tipo de material utilizado para realização. Há alguns anos atrás, eram utilizados fios não absorvíveis e o número de efeitos colaterais era muito grande.

Hoje em dia, os fios de PDO ( POLIDIOXANONA) têm sido uma das primeiras escolhas entre os médicos que realizam a técnica. Além do número de complicações ser baixo, ainda promovem estímulo de colágeno.

O que são os fios de PDO?

Fio de PDO é um fio de sutura cirúrgica, que já vem sendo utilizado em outras áreas da medicina há muitos anos. Ele é absorvível, demorando em torno de 4 a 6 meses para ser reabsorvido.

Durante esse processo de “decomposição” do fio, ocorre um aumento do número de fibroblastos e consequentemente, maior produção de colágeno. Com isso, a pele ficará mais sustentada, mas também com melhor aspecto dos poros, tônus e elasticidade. 

Esses fios nem sempre serão para sustentação ou tração da face. Podemos também utilizá-lo apenas com o objetivo de estimular colágeno em áreas com maior flacidez ou com rugas mais marcadas, como pálpebra inferior, testa, ao redor dos lábios e glabela. 

A imagem abaixo mostra um exemplo do fio de PDO. O fio vem acoplado a uma agulha fininha, que perfura a pele suavemente e ao puxarmos ela vem sem o fio, que fica no local abaixo da pele onde planejamos tratar. Os fios que promovem a tração estão conectados a cânulas em vez de agulhas, que não são cortantes.

Como é realizado o procedimento?

O paciente fica o tempo todo acordado, não é necessário nenhum tipo de sedação. Anestesia tópica é realizada no local das entradas dos fios, tornando o procedimento bastante tolerável em relação à dor.

Para entender melhor sobre como eles vão agir, é importante falarmos sobre os tipos de fios de PDO. 

Existem basicamente três tipos principais de fios PDO: 

  • Lisos
  • Parafusos
  • Espiculados (com garra).

Cada um deles terá uma indicação no rosto.

Fios de PDO lisos

Esse tipo de fio não possui efeito de lifting facial, mas também promove formação de colágeno, Eles podem ser aplicados em quase toda a face, não promovem aumento de volume, mas irão melhorar a flacidez e as rugas finas. A agulha é bem fina e praticamente não causa dor. As principais indicações são:

  • flacidez e rugas na pálpebra inferior
  • rugas do código de barra ( ao redor da boca)
  • rugas e flacidez no pescoço. Nesse caso podem ser associados aos fios de sustentação. 

Fios de PDO em parafuso/espiral

Eles são semelhantes aos fios lisos, também na forma de aplicar, mas tem capacidade de gerar um aumento de volume no local. Então, para uma mesma área do rosto, mas em pacientes diferentes, optamos por fios lisos ou por fios em parafuso. Podem ser utilizados:

  • rugas da glabela ( entre as sobrancelhas) , principalmente associando a toxina botulínica
  • rugas mais marcadas no pescoço ou na região frontal

Nas imagens a seguir, vemos alguns exemplos de áreas que podemos tratar com os fios lisos ou em parafuso:

antes e depois tratamento fios de pdo em parafuso ou espiral
Fios de pdo para estimular colágeno

Fios espiculados

São os fios que promovem a sustentação da face, devido às “garras”ao redor dele, que vão puxando e tracionando a pele por baixo, dando o efeito lifting. O resultado vai depender do número de fios utilizados e do grau de envelhecimento do paciente.

Fios de pdo para sustentação

O que devo esperar do resultado dos fios de sustentação?

A principal indicação do uso dos fios de PDO é um grau leve a moderado de envelhecimento. Os resultados para pessoas acima de 60 anos costumam ser pouco perceptíveis. 

Quando bem indicado, o grau de satisfação do paciente tende a ser elevado.

Os fios vieram para somar. Ou seja, praticamente não indico como único ou primeiro procedimento. Uma paciente jovem, que já faz bioestimuladores, preenchedores e ultraformer, provavelmente irá se beneficiar dessa associação. 

Tenho me surpreendido muito positivamente com os resultados nas pálpebras inferiores, uma região que costuma ser bem difícil de tratar.

E o mais importante, os fios não devem ser posicionados como opção ao lifiting cirúrgico. Pacientes que já têm indicação para cirurgia, certamente não ficarão satisfeitos com os resultados.

Qual número de sessões?

Quando a indicação é sustentação da face, em geral, apenas uma sessão é indicada naquele momento. Pois como os fios são degradados, ao longo dos anos, as sessões vão sendo repetidas.

Os tratamentos com o fios lisos são feitos em até 3 sessões, com intervalo de 30 a 60 dias entre elas.

Quais são as complicações com os fios de PDO?

Apesar de pouco risco de efeito adverso, os fios ganharam fama também entre não especialistas e isso aumenta as complicações, devido ao erro de técnica e conhecimento restrito da anatomia da face.

Entre as complicações possíveis temos:

  • hematoma 
  • extrusão do fio ( a pele expulsa)
  • fios perceptíveis por baixo da pele
  • ondulações 
  • assimetrias faciais
  • danos à glândula parótida
  • infecções

Algumas dessas complicações podem ocorrer mesmo com profissionais capacitados, e na maioria das vezes são leves e fáceis de resolver. 

Infecções são raras quando o procedimento é realizado com médicos, com assepsia adequada.

Quanto custa o procedimento com fios de PDO?

É difícil colocar um valor, pois vai sempre depender da indicação individual e do número de fios utilizados.  Também existe uma variação de preço entre os tipos de fios. Por isso, na avaliação durante a consulta eu mostro onde colocaríamos e o valor para aquele paciente.

Quanto tempo dura o efeito dos fios de sustentação?

O fio é reabsorvido em até 6 meses, porém, ainda teremos o benefício do aumento do colágeno na região, pelo efeito de bioestimulação.

O grande problema da técnica é que os estudos não têm demonstrado efeitos muito duradouros. Em geral, é um procedimento para realização anual

Temos então, mais um método de rejuvenescimento para associar aos que já vimos realizando. Espero ter conseguido explicar um pouco sobre os fios. Estou à disposição para esclarecer as dúvidas!

Deixe um comentário